Ano de 2016

por Assessoria de Comunicação publicado 24/08/2015 15h20, última modificação 28/05/2021 17h20
Homenageadas no ano de 2016.

Julieta Signorelli

      Julieta Signorelli nasceu em 19 de agosto de 1916 em Castro, numa casa que havia em frente ao Ginásio de Esportes Douglas Pereira. Filha de José Signorelli e Theóphila Espírito Santo. Seu pai veio de Belvedere Marítimo, Província de Concenza, região da Itália, era sapateiro, fabricava sapatos, e faleceu aos 66 anos, deixando a esposa e seis filhos: Maria da Graça, Annita, Maria Lucrécia, Felipe, Zilda e Julieta. Nessa época as dificuldades da família eram muitas. Dona Eunice Pombo e Dona Diair Santos, amigas da família, conseguiram bolsas de estudo para Julieta e Lucrécia em um Internato em Curitiba, no entanto estas teriam que tirar boas notas no curso em razão das bolsas, assim, eram sempre 1º e 2º lugar da turma. Aos 17 anos Julieta voltou para casa e começou a lecionar. Foi diretora em Piraí, professora de Português em Tibagi e aqui em Castro trabalhou praticamente em todos os colégios. Mesmo depois de estar aposentada, foi convidada a trabalhar no Colégio da Castrolanda onde lecionou até o ano de 1985. Naquela época os pais dos alunos eram rígidos e outorgavam aos professores a autoridade necessária em sala de aula. Essa doação ao próximo sempre se fez presente na vida da Professora Julieta  não só por meio da  profissão, mas também dos belos atos de caridade. Julieta sempre acolhia em sua casa crianças carentes, muitas vezes vinda do interior do município, para que pudessem se dedicar aos estudos.

Therezinha Anunciata Flores Amato

Therezinha Anunciata Flores Amato nasceu em Castro aos 12 de Maio de 1933, filha de Pachoal Amato e Carolina Flores Amato. Casou-se com Francisco de Assis Padilha com quem teve dois filhos: Francisco Carlos (Kiko) Padilha e Maurício Padilha. Durante anos, Therezinha trabalhou junto a seus pais na Sorveteria Paschoal, cujas especialidades levaram o nome de Castro ao Paraná e ao Brasil. Itens servidos como as taças Margarida e Estudante, e as Tortas de Sorvete. Além das casquinhas com bolas de diversos sabores, e os picolés variados, os sorvetes embalados BlackOut e Negrita adoçaram as tardes de gerações e são inesquecíveis. Além da atuação como empresária, as atividades de Therezinha junto a diversas instituições de caridade do Município também são relevantes. Foi presidente da Apae por 15 anos, vice-presidente por mais cinco, e ainda em outros períodos, membro da diretoria. Nestas décadas, a escola especial conseguiu expandir sua atuação com aquisição de imóveis, construção de novas alas, compra de equipamentos, além da regularização da escola como unidade de ensino componente do sistema regular. Junto à Escola de Educação Familiar de Castro, ministrou aulas de culinária, flores artificiais e diversos outros trabalhos artesanais. São constantes suas participações em eventos e promoções de auxílio a entidades como Lions Club de Castro, Rede Feminina de Combate ao Câncer de Castro, Asilo São Vicente, bem como organizando a confecção e doação a gestantes carentes de centenas de enxovais de bebê.