Ano de 1990

por Bruno publicado 13/03/2015 14h50, última modificação 07/05/2015 11h09
Homenageados do ano de 1990
Jeová Pinto Ribeiro

Jeová Pinto Ribeiro nasceu aos 14 dias do mês de abril de 1930, em Carvãozinho, no Município de Ibaiti – Paraná.Filho de Vergilho Pinto Ribeiro e Almira Soares Domingues, teve três irmãos – Nabucodonosor, Calistrato e Leatrice.Aos cinco anos de idade perdeu seu pai, como era ainda pequeno, foi morar com seus avós paternos, com quem ficou até os oito anos de idade, vindo posteriormente morar na cidade de Castro, com seus pais adotivos Walfrido Carneiro de Mello e Carolina Menarim de Mello, conforme desejo de seu pai.
Jeová, além de serviços caseiros, fazia entrega de leite antes de ir para a escola. Aos 14 anos de idade,  começou a trabalhar como pintor de paredes para os vizinhos e parentes, com um ano de serviços, formou sua própria equipe de pintores e chegou a ter até 11 funcionários.
Em 1955, no dia 13 de julho, casou-se com Lourdes Tabor Ribeiro, com a qual teve quatro filhas – Ana Carolina, Maria Aparecida, Josane do Rocio  e Giovana Augusta.Teve ainda 10 netos – Melissa, Saulo, Giliana, Maria Augusta, Grasiele, Gustavo, Gilberto Junior, Guilherme e Gabriele.
Na sua vida particular, sempre procurou participar de associações ou entidades religiosas e beneficentes, sempre apto e desprendido para qualquer trabalho. Na vida política, foi vereador de 1983 a 1992, presidente da Câmara Municipal em 1987 e 1988, vice-Prefeito de 1/1/93 a 31/12/96 e assumindo como prefeito em 30/08/93 a 1/10/93 e em 12/9/94 a 10/1/95. Mesmo fora da política, Jeová ajudou desinteressadamente toda a população carente do município, especialmente da Vila Rio Branco, onde foi profundo conhecedor dos problemas enfrentados pela população.

Maria Tereza de Paula Xavier 

Irmã Maria Tereza (Eudóxia de Paula Xavier) nasceu em 14 de setembro de 1917 em Ponta Grossa. Filha legítima de Raul de Paula Xavier e de Leonízia Bahls de Paula Xavier, tendo os irmãos Izolina Alice e Joaquim. Batizou-se, crismou-se e fez primeira comunhão na Catedral de Ponta Grossa. Fes seus estudos primários 1º e 2º grau no Colégio Regente Feijó e Instituto de Educação e ao mesmo tempo cursos de Catequetica e Teologia Dogmátca e Moral e Canto Orfeonico no Colégio São Luiz e Sant´Anna com os padres do Verbo Divino e Irmãs do Espírito Santo. Concluiu seu curso de professora em 1936 e 1937. Prestou vestibular na Escola de Farmácia e Odontologia de Ponta Grossa. Em 1939, ingressou no noviciado das Irmãs de São José, contiuando seus estudos religiosos. Aos 2 de julho de 1940 fez sua profissão religiosa. Cursou o Superior em Ciências Naturais e Matemática aos mesmo tempo que lecionava, bem como seus estudos de Catequética e Teologia. Lecionou na Escola de Aplicação em Ponta Grossa de 1937 a 1939 e catequese na Catedral e nessa mesma instituição; no Colégio Cajuru por meio ano de 1939 e metade de 1940; na Escola Paroquial e Catequese na Paróquia 1ª Eucaristia; em 1942, veioa para Castro, onde assumiu a direção titular do Colégio São José; em 1943, assumiu a Catequese Paroquial; em 1946, foi diretora da Escola de Professores e passou a lecionar didática, matemática e biologia; lecionou também Biologia e Religião no curso de Comércio Nossa Senhora de Fátima; em 1954, foi transferida para o Colégio São José da Lapa, onde assumiu a direção e lecionou francês, português e matemática; em 1964, voltou para o Colégio de Castro para ensinar ciências, matemática e religião.  De 1979 a 1982, foi superiora da casa, assumindo mais um triênio, mas pediu para não continuar por motivo de doença na família. Assumiu a coordenação na catequese na Paróquia e no município até 1984, quando por circunstância familiares teve que ficar com sua mãe. A pedido da família, não deixou sua missão religiosa, comparecendo bimensalmente em sua comunidade. Em 1989, voltou para o município. Dois terços da população castrense esteve nos bancos escolares com a Irmã Maria Tereza. No interior de Castro, acompanhava aos domingos o Padre Nicolau Baltazar, que doutrinava catequese nas capelas. Ela ministrou também orientação religiosa às professores do município na Prefeitura, por três mandatos dos prefeitos Rivadávia Menarim, Lauro Lopes e Ronie Cardoso. Dos 50 anos de vida religiosa, 38 ela viveu em Castro.