Corte de árvores na Dr. Jorge

por Assessoria de Comunicação publicado 03/11/2016 16h54, última modificação 03/11/2016 16h54
Engenheiro justifica a necessidade da retirada

             Nesta quinta-feira, 03 de novembro, pós-feriado de Finados, os vereadores castrenses reuniram-se em plenário para a realização da primeira sessão ordinária do referido mês. Após leitura da ata o vereador Presidente, Gerson Sutil (PSB), concedeu a palavra ao engenheiro da empresa Instelimic, Edson Cesar Gaida, responsável pelo projeto executivo e execução da obra de revitalização da Rua Dr. Jorge Xavier da Silva, para que explicasse aos presentes as razões que levaram ao corte de árvores da via.

                Gaida justificou aos parlamentares a retirada de oito árvores, das 23 que estavam distribuídas ao longo da rua, após estudo minucioso realizado desde agosto.  Segundo o engenheiro, todas as esquinas transversais com a Dr. Jorge serão pavimentadas com paver e este pavimento terá a mesma altura das calçadas para respeitar o projeto de acessibilidade e as normas de colocação de pisos podotáteis, faixas em alto-relevo fixadas no chão para fornecer auxílio na locomoção pessoal de deficientes visuais.  

                O responsável pelo projeto pontuou que estas faixas elevadas avançam um pouco na Rua Dr. Jorge, justamente para a instalação deste piso especial, que deve estar posicionado exatamente no centro da faixa, ou o mais próximo do centro. Gaida apresentou como exemplo o caso da árvore que ficava em frente ao Banco do Brasil que, além de estar praticamente em cima de onde passará a faixa podotátil, necessita de uma abertura de 1,5 a 2 metros para que sua raiz respire, tornando impossível mantê-la na posição em que se encontrava.

                O engenheiro ressaltou que a empresa não fez nada fora da legalidade e que outras 18 árvores serão plantadas para substituir estas oito ao longo da via.  Gaida destacou que o único motivo para que as árvores fossem retiradas no feriado reside no fato de ser um dia de menor circulação da população, visando sua segurança. “A Maria Inez, Diretora de Meio Ambiente é contra a retirada, o Dr. Reinaldo é contra, eu sou contra ao corte das árvores, mas acontece que determinadas árvores estão atrapalhando, interferindo, principalmente no projeto de acessibilidade”, evidenciou.

                A Diretora de Meio Ambiente, Maria Inez Pedrosa Machado, presente em plenário, também fez uso da palavra e explicou que a substituição das árvores foi discutida com bastante critério e preocupação. A diretora frisou que durante a realização do estudo a equipe fotografou árvore por árvore para identificá-las e conversou com os lojistas para conhecer sua opinião, uma vez que a árvore fica à frente de seus estabelecimentos. Segundo Maria Inez, o Conselho Municipal do Meio Ambiente também foi consultado e todos compreenderam a justificativa da acessibilidade, visto que também é lei e atende diversas parcelas da sociedade.  

               

Votações da sessão

                Durante a ordem do dia da sessão os parlamentares aprovaram três requerimentos após votação única, sendo um da vereadora Maria de Fátima Barth Antão Castro (PMDB), um de Joel Elias Fadel (PSDB) e o último de Aline Sleutjes Roberto (PR).

                Através do documento Fátima solicita que seja enviado Voto de Congratulações a Professora Natali Ferreira dos Santos por ter obtido o primeiro lugar no Concurso Agrinho 2016 realizado pelo Estado do Paraná em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural- SENAR e a Federação da Agricultura do Estado do Paraná- FAEP.

                O vereador Joel Fadel questiona o Executivo quanto a existência de projeto prevendo melhorias na praça localizada no Jardim Dona Helena, tendo em vista que os moradores deste bairro necessitam de espaço destinado ao lazer para as crianças e para prática de atividades físicas.  O requerimento da vereadora Aline também solicita informações da Prefeitura sobre a possibilidade de realizar reformas nos ginásios, praças de lazer e campos de futebol, uma vez que as instalações existentes encontram-se em situação precária e não podem ser utilizadas pela população.

                Em primeira votação os legisladores aprovaram projeto que autoriza a desafetação de área e sua doação para a Associação Antonio e Marcos Cavanis. A área a ser desafetada refere-se ao prolongamento da Rua Santo Antonio da Platina, já utilizada pela entidade para acesso ao salão paroquial. A proposta de lei passa por segunda votação na próxima sessão.

                Uma indicação da vereadora Aline Sleutjes foi apresentada no expediente do encontro, apontando a necessidade da colocação de placa indicativa de estacionamento temporário na Avenida Presidente Kennedy em frente à rodoviária.

                A próxima sessão será realizada em 09 de novembro às 14 horas.