Morre Lauro Lopes, ex-prefeito e ex-vereador de Castro

por Helcio Luiz W Kovaleski publicado 08/03/2020 22h20, última modificação 11/03/2020 12h26
Desde as 17 horas deste domingo, corpo está sendo velado na Câmara Municipal; sepultamento será nesta segunda-feira, às 10 horas, no Cemitério Frei Mathias

Faleceu na manhã deste domingo (8), em Castro, o advogado, ex-prefeito e ex-vereador Lauro Lopes. Desde as 17 horas deste domingo, o corpo está sendo velado na Câmara Municipal de Castro e o sepultamento será nesta segunda-feira (9), às 10 horas, no Cemitério Frei Mathias.

A vereadora Fátima Castro, presidente da Casa, realizará uma sessão póstuma em homenagem a Lauro Lopes, no Plenário da Câmara, nesta segunda-feira, às 8 horas da manhã.

Nascido em 16 de maio de 1929, Lauro Lopes era filho de Licínio Lopes e Anna Maria Richter Lopes. Foi contador, advogado e agropecuarista. Exerceu o mandato de vereador, entre 1963 e 1968, e o cargo de vice-prefeito de 1969 a 1971, durante a administração de Rivadávia Menarim.

De 1972 a 1977, Lauro Lopes foi prefeito de Castro. Sua gestão à frente do município ficou marcada pela construção de várias escolas e estradas rurais e de mais de 70 pontes, além de investimentos em saneamento, manilhamento, cascalhamento de estradas, iluminação pública e rede de água e esgoto. Quando sua esposa, Glaci Ribas Lopes, assumiu a presidência da Câmara, ele, já não exercendo mais o mandato de prefeito, ocupou o cargo de assessor jurídico da Câmara (através da Portaria 08/1983), tendo sido nomeado sem remuneração.

Lauro Lopes participou das diretorias do Clube União e Progresso, Sociedade Educacional 1890, Castro Clube de Campo e do Asilo São Vicente de Paulo, onde trabalhou como contador por muitos anos de forma gratuita e solidária. Foi fundador do Movimento Familiar Cristão e sócio-fundador do Rotary Club de Castro, e presidiu o Lions Clube de Castro. Foi vice-presidente e tesoureiro da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e presidente da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG). Fez parte da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra e da diretoria da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), onde ocupou o cargo de conselheiro fiscal. Também fundou a Associação Rural de Castro (atual Sindicato Rural de Castro), tendo sido presidente por vários mandatos.

Homenagem

No dia 13 de agosto de 2015, Lauro Lopes, juntamente com sua esposa, Glaci, foram homenageados pela Câmara Municipal com os títulos de Cidadãos Beneméritos de Castro, “em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados ao município”. A dupla homenagem foi uma iniciativa do vereador Gerson Sutil (PSB), então presidente da Casa, através dos projetos de lei 67 e 68/2015 (respectivamente, leis municipais 3.103 e 3.104/2015). “Esta homenagem é mais do que justa, o currículo dos dois não nos deixa dúvidas. Com certeza, será uma noite especial”, disse Gerson, à época.

Visionário

“O Dr. Lauro Lopes foi uma pessoa extremamente ética, político visionário, comprometido com a educação, cultura e com as causas sociais”, afirma a vereadora Fátima Castro. “Sempre participou de associações, representando e elevando o nome do município. Me senti extremamente honrada quando, em 2015, fui a responsável por homenageá-lo em nome da Câmara, por ocasião da outorga do título de Cidadão Benemérito. Lembro que fiquei impactada com seu extenso currículo como vereador, administrador de nosso município e como cidadão atuante. O sentimento que fica é de profunda gratidão a esse cidadão honrado, responsável por muito da infraestrutura que hoje desfrutamos na cidade, pois ele foi um dos pioneiros que nos deixou um grande legado, tal como abertura de novas estradas municipais, ligando pontos isolados, construção de inúmeras pontes, iluminação, início do asfaltamento de Castro a Tibagi e de Carambeí, benfeitorias em cemitérios. Trouxe a Telepar, modernizando as transmissões telefônicas, entre tantos outros feitos”, destaca.

Na avaliação de Fátima, como político sempre dedicado e preocupado com o bem da cidade, na área da educação, o grande marco em sua gestão como prefeito foi a construção de mais de vinte escolas espalhadas em todo o município, além da ampliação do número de salas de aula “de outras tantas”. “Na área da cultura, criou o Museu do Tropeiro, ponto turístico de nossa cidade, local relevante no resgate e preservação da história de Castro. Também em sua gestão foi construído o antigo prédio da Câmara, no Centro, ao lado da Igreja-Matriz, no qual instalou o Centro Cultural e a Biblioteca Pública Municipal, local que até hoje é admirado pela beleza e arquitetura”, conta.

“Eu poderia citar tantos outros feitos, mas, para quem conheceu o Dr. Lauro, sabe do homem simples e humano que ele era, engajado nas causas sociais e da Igreja”, continua a vereadora. “Não tenho dúvida de que o Dr. Lauro foi o exemplo de político e cidadão. Foi um homem à frente do seu tempo”, conclui.