Reestruturação da Guarda Municipal é aprovada pelos vereadores

por Thiago Terada publicado 14/11/2019 15h55, última modificação 14/11/2019 15h55
Projeto, de autoria do Poder Executivo, foi aprovado por unanimidade e prevê nova estrutura hierárquica

Os vereadores da Câmara Municipal de Castro aprovaram, na última quarta-feira (13), o Projeto de Lei que prevê a reestruturação da hierarquia da Guarda Municipal. Com isso, criam-se os cargos de comandante, subcomandante, inspetor e subinspetor e os guardas passam a ser divididos em 1ª e 2ª classes, sendo da primeira aqueles que passam pelos cursos de formação e os de segunda aqueles que acabaram de ingressar no cargo público.

A aprovação do projeto de lei foi amplamente comemorada pelos vereadores e, principalmente, pelos guardas que acompanhavam a sessão. “A Guarda é um dever do Poder Público e um direito do cidadão e todos os profissionais tem o nosso respeito, pois o trabalho desempenhado em nossa cidade é maravilhoso”, disse a vereadora presidente Fátima Castro (MDB).

Já o vereador Joel Fadel (PSDB) elogiou o avanço e as melhorias da estrutura da Guarda Municipal. “É extremamente gratificante ver como foi iniciada a Guarda, quando malmente tinha uniforme, sem carro e estrutura e hoje vemos que vocês estão trabalhando bem, embora ainda a remuneração não seja a ideal, aos poucos as condições de trabalho estão melhorando”, afirmou. 

Demais projetos

Os vereadores também aprovaram durante a sessão, em segunda votação, o projeto que concede título de cidadão honorário ao Padre Edemar de Souza, de autoria do vereador Maurício Kusdra (DC), e os projetos relacionados ao Plano Diretor. Outros cinco projetos que previam abertura de crédito adicional e outro que cria um programa municipal de fortalecimento a agropecuária e ao agronegócio também foram aprovados.

Já em primeira votação, foram aprovados quatro projetos de lei ordinária. Dois autorizam a abertura de crédito adicional suplementar, outro prevê a inclusão do aluguel social no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e um que amplia o número de vagas para o cargo de Técnico em Enfermagem.

Privatização dos Correios

Durante a sessão, o Senhor Antonio Orlando Batista fez uso da tribuna para solicitar apoio dos vereadores para que se posicionem contrários a privatização dos Correios. Segundo ele, a empresa presta um serviço de qualidade e possui uma função social. “Nós temos no país, aproximadamente, 5.570 municípios, destes apenas 300 deles dão lucro para a empresa e é desse recurso que conseguimos atender os outros municípios. Então, nós possuímos uma função social”, explicou e defendeu que caso haja a privatização, os municípios que não geram lucro, não terão mais Correios.